09/03/2017

Resenha: O verão em que salvei o mundo em 65 dias


Título: O Verão em que salvei o mundo em 65 dias
Autor(a): Michele Weber Hurwitz
Editora: Rocco Jovens Leitores
Páginas: 288

Um verão. Uma menina. Um plano. 65 maneiras de fazer a diferença. Neste livro romântico e cativante, Michele Weber Hurwitz, elogiada autora de livros juvenis, conta a história de Nina Ross, uma menina de 13 anos que, um pouco entediada e solitária durante as férias, resolve dar um gostinho diferente aos seus dias com um plano inusitado: fazer uma boa ação por dia, anonimamente, a alguém de sua vizinhança. A cada um dos 65 dias em que põe seu plano em prática, Nina descobre algo novo sobre seus vizinhos e sua família capaz de surpreendê-la. E aprende que as coisas podem não acontecer sempre do jeito que esperamos, mas podem ser ainda melhores. Como o verão inesquecível em que ela salvou o mundo – ou pelo menos fez uma pequena diferença nele – e as próprias férias.

Hoje vou falar desse livro fofíssimo que recebi da Rocco para leitura. Sério, fazia muuuito tempo que eu não lia uma história tão simples e profunda ao mesmo tempo. Quer dizer, geralmente esses livros e jovens adultos vem sempre com ensinamentos e situações que fazem os leitores refletir, claro que tem algum romance e tudo mais só que existe sempre o clichê que mesmo sendo bom (eu gosto) também acaba sendo chato. Não foi o que aconteceu com este livro, que eu amei do inicio ao fim.

Nina é uma pré-adolescente que sempre deixou as coisas ao seu redor acontecer, sem se dar ao trabalho de mudar ou fazer alguma coisa até que um dia ela vê sua vizinha, que esta com a perna quebrada, bastante chateada por não estar conseguindo plantar uns cravos ali no quintal da casa. E ao invés de ficar somente olhando a cena e sentindo dó da senhora ela vai lá e planta todos os cravos da Senhora Chung. Simplesmente assim. E ela nem se da ao trabalho de contar a senhora que fez isso, ou a qualquer pessoa. À partir desse momento Nina resolve que vai mudar e que irá fazer algumas boas ações para seus vizinhos, amigos e família durante o verão. E ai o livro nos mostra todas essas boas ações e suas consequências.

Eu sei que nunca dou um resumo do livro nas resenhas, mas gente... vocês leram isso? Que coisa mais fofa. Quer dizer, quando é que as pessoas simplesmente tem essa ideia/vontade de fazer algo bom para outra pessoas e simplesmente vai lá e faz sem pensar nas consequências. Então claro que me apaixonei por Nina de cara. Ela é uma garota doce e simples, no começo ela se importa um pouco em como o mundo a vê mas isso vai se perdendo ao longo do livro. Nenhuma mudança é repentina, ainda mais com um curto espaço de tempo em que a narrativa acontece mas ela tem somente 13 anos, então as mudanças são visíveis como em qualquer pessoa dessa idade.

As boas ações que ela faz não é nada de tão exuberante. Ela salva sim o mundo em 65 dias, mas de uma forma pequena porque o que o livro quer mostrar mesmo é que as boas ações por mais simples que seja se for feita por todos já vai deixar o mundo um lugar bem melhor para se viver. No começo eu não entendi muito bem isso e pensei "mas só isso?" quando ela fazia algo mas conforme as coisas vão acontecendo e as mudanças acontecem então que acabei entendendo de verdade a mensagem principal.
"(...) É preciso aceitar algumas coisas no universo sem questionamento."

Os personagens que completam essa história já são algo que não foge do básico: os pais muito ocupados, o irmão mais velho que tem problema de comportamento, aquela vizinha chata, outra vizinha com muitos filhos, a amiga e o amigo que estão descobrindo o interesse no sexo oposto. Sim, é parte importante da história pois faz parte das boas ações de Nina, mas eu não acho que realmente valha a pena citar com detalhes; com exceção de Thomas — porque sempre tem que ter aquela criança maravilhosa. ♥ Gente, que menino mais lindo. Ele tem a inocência que percebemos que Nina esta perdendo por estar entrando em uma nova fase da sua vida. Quando ele pega sua espada e sua capa e diz que irá combater os bandidos é muito fofo e eu podia ver meu primo brincando dessa forma.

O verão em que salvei o mundo em 65 dias é um livro super fofo e indicado para qualquer idade, mas acho que se um adulto ler a mensagem vai cair como uma luva pois às vezes somos acomodados demais com as coisas, gostamos de reclamar e etc então quem sabe sabendo o que pequenas boas atitudes fazem não resolvemos mudar um pouco?

3 comentários:

  1. Oi, Silviane!
    Desde as postagens de lançamento eu já fiquei interessada no livro. Que ideia simples e linda, né?! Ainda mais partindo de alguém tão jovem. A gente não precisa de atitudes enormes, salvar o mundinho de alguém já é o bastante. O bem se espalha! Acredito nisso e já quero ler o livro!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Adorei, é exatamente isso, se cada pessoa fizer uma pequena ação sempre o mundo vai melhorando.
    http://infinitomundodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil.
    Já tinha lido outra resenha sobre esse livro e achado interessante.
    Deve ser uma leitura bem leve.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.