05/07/2017

Resenha: Perdido em Marte


Título: Perdido em Marte
Autor(a): Andy Weir
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Resenha feita para o blog pobre Leitora
Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico – e um senso de humor inabalável –, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Tá difícil começar essa resenha, mas vamos lá: Aposto que assim como eu você não é uma pessoa habituada a ler ficção científica é justamente por isso vai ter um pouco de preconceito com este livro. Digo apenas uma coisa: pare. Perdido em Marte é simplesmente um dos melhores livros do gênero que eu tive a oportunidade de ler e com certeza ira te divertir tanto quanto me divertiu. Ele é engraçado, apesar de algumas especificações técnicas o autor se preocupou em deixar a linguagem o mais popular justamente para que pessoas leigas possam entender o que está acontecendo com Mark o tempo todo. Por mais que seja um gênero que eu não tenho muita intimidade a leitura fluiu muito bem e eu ficava com raiva quando tinha que interromper a leitura para trabalhar.


Mark é um homem extremamente otimista. Imagine-se Você, após um acidente, estar sozinho(a) em Marte e ter que tentar sobreviver sem nenhuma comunicação com a Terra. Eu acho que no lugar del imediatamente ficaria louça e tomaria alguma atitude extrema, mas ele se concentrou na sua sobrevivência até saber que uma próxima missão chegaria a Marte. Tudo o que ele fez foi tão bem pensado e testado que tem horas que fica difícil acreditar que isso é possível (e bom, não sei se realmente emas espero que isso nunca aconteça para termos a prova). Este é definitivamente o protagonista que carrega toda a história nas costas e consegue não deixar a história chata, maçante.

Ah! E quem pensa que o livro é o tempo todo Mark está enganado, em diversos momentos temos narração em terceira pessoa nos contando o que está acontecendo na Terra, as atitudes da NASA ao descobrir que ele está vivo e também de seus colegas da Ares III. São momentos que me deixaram com um pouco de raiva no início, mas é um pouco difícil entender como essas entidades são tão diplomáticas o tempo todo quando tudo que você quer é que eles ajudem o moço lá no planeta vermelho. 

Para quem ama adaptações também indico o filme que, pelo que me lembro dele, ficou bastante fiel ao livro e isso me agradou (mas assim faz tempo então algumas coisas podem ter passado). 

Um comentário:

  1. Oi Silviane! Eu assisti o filme, e adorei! Na verdade nem sabia que tinha o livro hehehe

    estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.