28/12/2016

Resenha: Boo


Título: Boo — Minha Vida Após a Morte
Autor(a): Neil Smith
Editora: Fábrica 231
Páginas: 336
Livro cedido para resenha pela editora
Oliver Dalrymple é o típico “looser” americano: aos 13 anos, magro e pálido como um fantasma, está mais interessado em biologia e química do que em esportes e vida social. Um dia, enquanto se recupera de um dos frequentes episódios de bullying de que é vítima recitando a tabela periódica em frente a seu armário, ele desfalece para sempre. E é aí que sua verdadeira vida começa. O “céu” onde Oliver acorda depois do que acredita ter sido uma parada cardíaca em função de um problema congênito chama-se Cidade e é povoado por pessoas que morreram aos 13 anos, como ele e seu colega de escola Johnny Henzel, que chega dias depois de Boo à Cidade, trazendo notícias perturbadoras sobre a causa da morte deles. Notícias que mudam para sempre a percepção de Oliver Boo sobre sua personalidade e seu lugar no mundo. Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, Boo é um romance cativante sobre amizade, confiança, bullying e a difícil tarefa de ser adolescente.

Com essa capa super fofa eu já me apaixonei de cara por esse livro, mas como dizer o quanto eu amei após concluir a leitura? Sabe aquele livro que te surpreende mas que não te deixa com raiva e nem com aquela sensação de desespero como alguns fazem? Bom, Boo é mais ou menos assim. Durante toda a leitura eu me senti curiosa para saber o que houve com Boo e Johnny e mesmo que ao longo da história várias coisas são reveladas o autor sempre conseguiu inserir mais um elemento para me deixar mais curiosa. Estranho falando assim, eu sei.

Ele é um garoto de 13 anos que morreu inesperadamente em frente ao seu armário na escola enquanto decorava a tabela periódica. Após sua morte ele acorda em um tipo de céu onde tem crianças de 13 anos e americanos. Neste local totalmente estranho e com alguns mistérios fora de lógica que só um menino que era considerado "nerd" pode achar alguma graça ele irá descobrir a beleza de ter amigos, o amadurecimento e principalmente aquilo que nós adultos sabemos tão bem: nem sempre a verdade é absoluta. Gostei de Boo pois mesmo morrendo tão cedo e mesmo que sua vida não tenha sido fácil antes de sua morte ele ainda tem um certo senso de humor e não se deixou abalar pelo que houve, mesmo após saber de toda a verdade.

Uma foto publicada por Sil (@estilhacandosil) em

O livro é escrito como se fosse uma carta de Boo aos seus pais, com ele expressando em diversos momentos que o que mais queria é que a carta, de fato, chegasse nas mãos deles. Ao final da leitura eu fiquei pensando o que sera que eles achariam dessa carta, sabendo desde o inicio o que aconteceu de verdade com o filho e vendo toda a confusão do garoto nas coisas que ele contou que aconteceu na sua pós-vida.

Apesar de ter adorado Boo eu também adorei Johnny. Sua determinação, seu jeito de lidar com Boo mesmo antes de eles estarem no "céu". A amizade dos dois começa bem de repente, mas conforme a história vai se desenrolando podemos ver que é algo que já poderia ter acontecido mesmo antes da morte deles. e essa é uma das coisas mais legais. Ambos se completam e mesmo no pior momento eles se ajudam, se apoiam e são capazes de fazer qualquer coisa um pelo outro. Na contra-capa diz que o livro trata bastante sobre bullying, mas eu vi muito mais como valorização da amizade e pequenas coisas do que esse aspecto negativo.
— Por que você sempre pensa o pior das pessoas?
— Porque as pessoas são o pior. — Esther diz.

Bom, o livro é maravilhoso e bem curtinho. Por ser um livro para o publico jovem a leitura flui muito fácil e como eu disse o autor sempre coloca elementos que deixam o leitor curioso, então ele acaba prendendo a atenção para sempre mais. Recomendo.

4 comentários:

  1. Oiii Sil

    Nem sabia de que se tratava o livro, me anima saber que é curtinho e que a leitura flui rápido, porque a história em si parece ser intensa e envolvente.
    Entra pra listinha com certeza.

    Beijos

    resenhaatual.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi,
    Com essa capa tão fofinha não imaginava uma história de “Morte”!!! Fiquei bastante curiosa para entender o que aconteceu com o Boo e entender pq vc curtiu tanto esse livro!!
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  3. Oi Sil!! Não conhecia o livro, mas já gostei do Boo! Poxa, morrer aos 13 anos e contar a vida após a morte é uma premissa bem original! Fiquei curiosa pra conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. To com esse livro pra ler aqui em casa <3 To bastante curiosa com a leitura, vai ser o proximo da minha lista
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.