25/01/2016

Resenha: Efeito Dominó - Parte 1

Quando vi o post no blog da Alana falando sobre esse livro fiquei bastante interessada na leitura, pois a premissa é ótima. Meu único receio era não ler tão prontamente, já que na época eu estava atolada de livros de parceria e metas mas conversando com ela acabamos chegando em um acordo. Aí então chegou a hora da famigerada leitura.


Título: Efeito Dominó - Parte 1
Autora: Alana Gabriela
Editora: Independente / Amazon
Páginas: 281
Compre: Amazon
Mais informações no Skoob

Sinopse: Helena foi morta num passeio à Saquarema. Seis meses após o assassinato e ainda não existem provas suficientes para lastrear o caso. Cora está desestabilizada com a perda da mãe e a impotência que tem sentido em decorrência disso. Ela está passando por todas as etapas do luto, afastando-se de suas amigas e até do seu pai, Afonso. Sua vida caótica e com uma bandeira hasteada de luto vira do avesso quando presencia uma tentativa de homicídio que põe a vida de Lucas, seu amigo, em perigo. No processo Cora é feita refém por um criminoso enigmático que está disposto a tudo para trazer à luz todos os segredos que rodeiam a morte de Helena. Ela só precisa decidir entrar no jogo. Entre mentiras, assassinatos e segredos funestos, o obscuro é o lado mais seguro para Cora se aliar. Mas ela precisa decidir qual segredo é digno do silêncio e se estará pronta para desencadear o efeito dominó!

E-book cedido em parceria com a autora

Não vou dizer que o livro me desagradou, pois é mentira. Ainda acho a premissa dele excelente e estou bem curiosa para saber o que acontece na segunda parte da história, principalmente depois daquele final que me deixou bastante surpresa (não digo apenas na cena final, mas o final no modo geral). Mas foi uma leitura um pouco... complicada. Primeiro que achei Cora uma personagem extremamente chata. Tentei diversas vezes me colocar em seu lugar e entender suas atitudes, mas sinceramente eu acaba ficando com mais raiva dela do que a compreendendo. A menina é bastante mimada, não gosta de ser contrariada e tive impressões que ela adora arrumar uma briga à toa (com todo mundo), mas por outro lado ela também é bem insistente e é graças a esta característica da menina que a história foi para frente.

Eu não sou o tipo de leitora que se da muito bem com histórias em terceira pessoa. Claro que as vezes acredito que algumas histórias realmente combinem com esse tipo de narração, mas não acredito que seja o caso de Efeito Dominó. Por mais que tenha minha implicância com Cora preferia muito mais saber dessa história pela perspectiva dela do que de diversos personagens, principalmente por ter tantas mudanças de personagens durante o livro. Talvez eu mistério iria prevalecer muito mais, a ansiedade pelo desfecho e etc. Outro ponto negativo na narração são alguns termos que a autora escolheu usar. Muitas vezes lendo um livro onde os personagens ou a protagonista é tão jovem fica um pouco difícil aceitar palavras tão formais para contar ao leitor como eles estão se sentindo (e às vezes até durante os diálogos). Lendo no Kindle é muito fácil consultar o dicionario no próprio dispositivo, mas é um pouco chato ter que ficar fazendo isso durante o livro inteiro.
Há segredos que não se pode confiar a alguém, porém há segredos que devem permanecer escondidos para proteger alguém.

Eu gostei bastante do sequestrador de Cora (não sei se citar ou não o nome dele é uma boa ideia na resenha, então vai assim que irei me referir a ele). Tá, eu sei que falando assim soa absurdo mas ele é um personagem que vai tendo um bom desenvolvimento na história e ajuda a personagem a descobrir várias tretas que envolve pessoas muito próximas a ela. Gosto do seu jeito sarcástico, frio e em alguns momentos até engraçado. Como sempre eu fico esperando por momentos entre "mocinha e vilão" na história e agradeço a Alana por ter me proporcionado isso, mesmo que os momentos deles juntos não sejam tãaaao longos assim eu gostei bastante. Quando Cora esta com ele parece que toda aquela birra chata desaparece e ela nos mostra um outro lado de sua personalidade que faria com que eu até gostasse dela como protagonista.

Apesar de ter tido os meus incômodos com o livro eu indico sim para quem gosta de um romance policial, com bastante suspense e mistério. Mesmo nos dando várias pistas o final ainda surpreende e pode te deixar ansioso para a segunda parte dessa história.
̶ Pode tentar se esconder da realidade, mas um dia você terá que abrir os olhos e quando abri-los vai estranhar a luz forte e penetrante. E isso será um risco porque você poderá ficar cega de vez por relutar a realidade e preferir as sombras. É melhor permanecer lucida, Cora.

15 comentários:

  1. Oi
    não foi só você que gostou do sequestrador, pois também gostei dele e por conta disso estou louca para ler a parte dois, a cora realmente gosta de se meter em problemas, mais eu gostei da leitura e que bom que você também curtiu.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não é absurdo gostar do vilão não hahaha sempre acabo gostando de sequestrador também, acho que pela personalidade deles, idk. Ficou ótima sua resenha, sincera, me fez ver o contro com um olhar mais abrangente.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Invisível", vem conferir!

    ResponderExcluir
  3. Acho super legal isso de jogar limpo, sabe? Você foi sincera com sua resenha, disse o que gostou e o que não e creio que isso seja muito importante não só pra mim, mas pra todos que pretendem ler/comprar o livro. Me deixou bastante curiosa, ainda mais desse "FINAL" que você tanto comentou, hahahha. E EU QUERO SABER O NOME DO SEQUESTRADORRRR </3

    beijão
    http://garota-interior.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Primeira resenha que leio dessa obra. Gosto muito da Alana e fiquei curiosa.
    E au tenho essa cosia de me apaixonar pelos vilões tb hahahaha
    Coisa de psicopata...

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  5. Sil, não sou nem um pouco fã de policial, já li alguns mas é aquele tipo de leitura que eu acabo enrolando séculos para terminar, não consigo me empolgar. E levando em conta sua resenha acho que não iria ficar muito feliz com essa narrativa, principalmente por causa da personalidade da protagonista, eu ia querer arrancar os cabelos da guria fio por fio com muita crueldade O.o ok sem exageros, mas esse eu passo

    ResponderExcluir
  6. Oi Sil.
    Não conhecia esse livro, mas adorei sua resenha. O que me deixou intrigada é saber que ele é só a primeira parte, o que não é muito comum nos livros do gênero, que geralmente é um livro único.
    Provavelmente eu também me irritaria com a Cora, mas fiquei curiosa mesmo assim.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi, Silviane, tudo bem?
    Confesso que não havia ouvido falar desse livro antes, mas a premissa me chamou muito a atenção. Desde o ano passado, tenho procurado me abrir mais à leitura de romances policiais, pois os primeiros que li do gênero realmente me envolveram e surpreenderam, e apesar de suas ressalvas com relação à protagonista, Efeito Dominó parece ser uma boa leitura do gênero. Os quotes que você pôs na resenha e os comentários sobre o sequestrador da personagem despertaram ainda mais meu interesse pela leitura, e já fiquei curiosa para conhecer o desenrolar dela. Parabéns pela resenha, ficou muito instigante! *---*
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  8. Oi Sil! Então começando eu adoro livros em terceira pessoa e com vários narradores afinal leio livros do Rick Riordan, mas o autor tem que saber segurar a marimba para fazer isso e saber manter o desenvolvimento do livro, e concordo com você, talvez se o livro fosse narrado em primeira pessoa pela Cora talvez apenas talvez ele se mostrasse uma personagem menos chata.
    Mulher você sofre de síndrome de Estocolmo? E pelo jeito a protagonista de história também né? kkkkk
    Nunca fui grande fã de policiais, é muita correria, mistério e ansiedade para mim, espero que saia logo o segundo para você descobrir mais sopre a história de Cora.

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir
  9. Oi Silviane, eu conheço a Alan da blogosfera, o gênero desse livro é o que eu mais gosto de ler e tenho uma certa curiosidade em lê-lo. Eu acho que foi mesmo uma boa ideia você não ter falado o nome do sequestrador da Cora, seria um spoiler e tanto rsrsrs

    ResponderExcluir
  10. Oi Silviane.

    É a primeira vez leio uma resenha sobre esse livro e conseguiu despertar minha curiosidade. Vou dar uma chance para o livro, principalmente por causa do sequestrado da Cora.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Silviane!
    Não conhecia o livro e fiquei interessada. Gosto de livros nessa pegada mais policial, com mistérios, me empolga bem rapidinho.
    Olha, talvez se ele fosse narrado em primeira pessoa vc até poderia gostar um pouco mais de Cora. Gosto bastante de narrativas em primeira pessoa pq me possibilita conhecer melhor a personagem, perceber seu jeito ...
    Espero que goste da parte dois. Vou procurar ele na Amazon. ;)
    Beijos
    http://www.coisasdemeninas.blog.br/2016/01/o-ultimo-dos-canalhas.html

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia a obra ainda, e gostei da sua opinião sobre ela, está bem direta e me fez entender o enredo todo. Não suporto personagem chata, e acho que vou sentir a mesma coisa que você, mas mesmo assim quero conhecer a história. Fiquei curiosa sobre o cara que a sequestrou e que você gostou. Estou ansiosa para ler esse livro, pois adoro gênero policial/suspense.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  13. Ainda irei ler um dia um romance policial, nunca li pelo fato de trazer um pouco o lado realista.
    Para mim esse livro pareceu bem intenso, com enigmas para descifrar, entendi bem a sua opinião, e sei como é preferir o vilão e torcer por ele kkkkk


    Nathália Bastos//Biblioteca Lecture

    ResponderExcluir
  14. Eu já não tenho preferencia por pessoa da narração, leio tanto em 1º como em 3º e gosto dos dois. Como você sabe, eu comecei a ler esse livro mas deixei de lado no começo. Pretendo retomar e leitura em breve porque to enrolando faz tempo já haha Acho que a maior complicação pra mim vai ser a escrita da Alana mesmo, que ta rebuscadinha demais.

    beijos

    ResponderExcluir
  15. Eu não tenho preferencia por narração, o livro em si que tem que me ganhar, já visto falar dess elivro, mas não o li, gostei da sua resenha e amei saber que é um romance policial, genero que tanto gosto, acho que vou atras dele haha
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Obrigada por comentar no Estilhaçando Livros. Se você tiver um blog deixa seu link que vou retribuir a visita com o maior prazer.