26/08/16

Cadê meu Fone? #5


Alô, alô meu povo ♥
Hoje eu tô numa alegria por motivos de: é sexta-feira (êeee) e segundo porque amanhã é dia 27 de Agosto, um dia que eu estou esperando há uns dois meses e sabe porque? Porque vai ter show do We Came as Romans no Brasil e a loka aqui vai se foder no trabalho para estar lá. rs Mas já sei, já sei. Você não sabe o que é We Came as Romans, né? Então fica aqui que vou te mostrar umas musiquinhas deles para vocês se situarem. ♥

25/08/16

RESENHA :TETRALOGIA AS BRUMAS DE AVALON

Título: As Brumas de Avalon
Autor(a): Marion Zimmer Bradley
Editora: Imago
Volumes: 4
Onde comprar: Enjoei
As brumas de Avalon reconta a lenda do rei Artur pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Pela primeira vez, o mundo arturiano de Avalon e Camelot, com todas as suas paixões e aventuras – o mundo que, através dos séculos, cada geração recriou em incontáveis obras de ficção, poesia, drama – é revelado, como se poderia esperar, pelas suas heroínas – pela rainha Guinevere, mulher de Artur; por Igraine, mãe de Artur; por Viviane, a impressionante Senhora do Lago, Grande Sacerdotisa de Avalon; e principalmente pela irmã de Artur, Morgana, também conhecida como Morgana das Fadas, como a Fada Morgana – como feiticeira, como bruxa – e que nesta épica versão da lenda desempenha um papel crucial, tanto na coroação como na destruição de Artur. Trata-se, acima de tudo, da história de um profundo conflito entre o cristianismo e a velha religião de Avalon.

Esse livro mudou a minha vida, sério! Desde Harry Potter eu não lia algo tão incrivel como esses livros. Já faz uns 2 anos que eu os li e a história ainda se mantém quentinha  na minha memória.
È uma história envolvente, imagine Game of  Thrones + Rei Arthur. È exatamente essa tetralogia. 
È uma leitura complexa, a narrativa é lenta no começo, por isso algumas pessoas desistem dele fácil, mas se você se abrir a história, no segundo livro você já vai estar totalmente focado nela e nos personagens principais. Então vamos por partes, o primeiro livro é a A Senhora da Magia, que começa antes do nascimento de Artur e foca em Vivianne e Igraine, duas irmãs distintas em seus destinos. Igraine se casa com o Duque Gorlois e engravida de Morgana, mais tarde Vivianne têm visões de que Igraine se casaria novamente com o futuro rei da Bretanha, Uther Pendragon e que desse relacionamento nasceria aquele que libertaria a Bretanha das mãos dos Saxões e uniria os cristãos e os druidas. Os livros tratam assuntos polêmicos como religião, incesto, tragédias e tudo que existia naquela época. 

A partir do segundo livro A Grande Rainha, já conhecemos a Guinevere, também já  somos introduzidos em rumos da história, e do jovem rei Artur finalmente se tornando rei precocemente. Nesse livro os conflitos amorosos e politicos já começam a se desenrolar, a narrativa já é mais fluida e elegante e você se torna um personagem da própria história. Eu me apeguei muito a Morgana, ela é forte, ela sofre mas sofre com elegância e em um tempo onde as mulheres eram apenas adornos de seus maridos, ela e as Sacerdotizas de Avalon eram a própria representação do feminino sagrado. Eu vi muito do feminismo a sua maneira nelas, eram outros tempos, onde ser mulher era apenas gerar filhos e se manter jovem e bela para seus maridos. Em contra  partida vemos Guinevere, devota ao cristianismo da época e muuuito beata. O ápice da luta do cristianismo da época para acabar com a  antiga religião druida, se vê nesse livro, incorporadas por Morgana defendendo a religião druida e Guinevere defendendo o cristianismo dos padres. E entre tudo isso, um rei que ama sua irmã ao mesmo tempo que precisa agradar sua esposa.

 De um livro para o outro, a passagem de tempo ocorre, então podemos sentir os personagens envelhecendo e isso me deixava muito na bad , porque parecia que eu estava indo junto, novos personagens vão aparecendo, novas histórias de amor, traição, guerras, lutas , religião com religião tudo vai se desenrolando, enquanto o reinado de Artur vai se consolidando na Bretanha e a lenda vai se formando. Lancelot, Mordred, Merlin são personagens fixos também, Merlin é apenas um titulo que passa assim que o outro morre, então um mais jovem assume o posto. Os dois ultimos livros vão encerrando toda a história e nisso você já está completamente dentro do universo deles e dá muita dor no coração quando acaba. O que eu mais gostei foi como cada um vê sua religião e esse livro me fez respeitar mais a religião alheia. Eu fiquei sem chão quando terminei e foi por esses livros que conheci umas das minhas séries preferidas, Merlin, que até já fiz crítica aqui.

 Não vou falar mais senão spoilers vão rolar, mesmo que a lenda arturiana seja famosa e conhecida,  mas aqui ela é recontada e vale a pena ser lida. Então leiam, e se apaixonem pela lenda arturiana como eu me apaixonei, e esses livros são tão fortes e importantes que várias adaptações são feitas baseadas nela e não na antiga leitura. Esse livro me fez crescer como mulher, me fez me amar mais, e um livro quando te ensina algo você nunca esquece. Espero que tenham gostado. Comentem <3

22/08/16

Filme: Equals



Título em português: Quando te Conheci
Direção: Drake Doremus
Distribuição: Imagem Filmes
Elenco: Nicholas Hoult, Kristen Stewart

No futuro, existe uma nova raça de seres humanos: os Equals, indivíduos pacíficos, justos e que não possuem mais emoções. Até que uma doença passa a ameaçar todos, ativando sentimentos em suas vítimas, que são excluídas do resto da sociedade. Silas (Nicholas Hoult) é infectado, mas percebe que Nia (Kristen Stewart) também possui sentimentos, sendo capaz de escondê-los. Sentindo pela primeira vez algum tipo de intimidade em suas vidas, eles decidem fugir.


Em uma geração onde distopia virou o foco de muitos filmes (e livros e etc) é quase impossível encontrar algum que tenha algo diferente do que as franquias famosas podem nos proporcionar: uma revolução. Não que eu esteja dizendo que esse é um aspecto negativo, longe de mim (eu até gosto); entretanto as coisas começam a ficar repetitivas, certo? Equals é um filme distópico voltado para o romance, focando muito mais seu enredo nos sentimentos de seus personagens do que na mudança da sociedade em si. Apesar de um tema mais adulto a descoberta dos personagens com as coisas tão comuns para nós, como o tocar das mãos, é algo extremamente... inocente, e também angustiante à partir do momento em que como expectadora eu me coloquei no lugar deles. Não consigo imaginar viver em um mundo onde olhar para alguém pode gerar desconfiança, o modo de conversar e o toque seja aquele mais carinho ou um simples aperto de mão.

19/08/16

Resenha: Lembrança


Título: Lembrança (A Mediadora #07)
Autor(a): Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 422
Livro cedido pela editora
Meg Cabot retorna com uma divertida e sexy continuação da saga de Suzannah Simon, a menina que via fantasmas... e os ajudava a passar para a luz Agora, mais velha e experiente, tudo que Suze quer é causar uma boa impressão no primeiro emprego desde sua formatura — e desde o noivado com o Dr. Jesse de Silva, ex-espírito e sua alma gêmea. Como não bastasse, um fantasma de seu passado resolve aparecer. E esse não é um espectro que ela possa mediar. Afinal, Paul Slater está bem vivo, milionário e, ainda por cima, é o novo proprietário da antiga casa de Suzannah. Aquela na qual conheceu Jesse. Isso não seria um problema se ela não tivesse acabado de descobrir que uma antiga maldição poderá transformar seu amado num demônio, caso seu antigo local de descanso seja demolido, como Paul pretende. Agora ela precisa dar um jeito em Paul, que a está chantageando sexualmente — isso mesmo... ou ela dorme com ele, ou perde Jesse —, enquanto tenta ajudar uma caloura assombrada por uma menininha muito poderosa

A Mediadora foi a primeira série de livros que eu me apaixonei, sem nem ao menos ter lido todos os volumes na época em que conheci, mas claro que quando consegui comprar todos os volumes e ler essa paixão se tornou amor. Minha identificação com Suzannah é imediata, com aquele jeito dela de ser toda obscura, desbocada e tão menina. Então quando Meg anunciou que um novo livro seria escrito eu fiquei, tipo, surtadona na frente do meu computador e praticamente contei os meses até ele ser lançado (ou foram anos? Pois eu lembro que faz bastante tempo que saiu o anuncio). Enfim, meu surto se tornou gritos quando recebi o exemplar da Galera {♥} para ler e resenhar aqui no blog e ao final da leitura se tornou surgritos (surto + gritos) pois, mais uma vez, estou orfã dessa história.

Geralmente não parece uma boa ideia "ressuscitar" um livro que já terminou há tanto tempo, pois algumas coisas podem simplesmente não funcionar de mil maneiras possíveis; mas não é que Meg Cabot soube conduzir muito bem a narrativa de A Mediadora mesmo após tantos anos? O maior sentimento que tive durante a leitura foi de nostalgia. Tudo o que senti lendo os seis primeiros livros voltou — e parece que com uma força muito maior. Eu não fui uma leitora que acompanhou o lançamento da série, então quando li toda a história de Suzannah eu já era uma pessoa de vinte anos, mas agora eu tenho a mesma idade que ela em Lembrança e a sensação foi de ver uma amiga contando sua história numa mesa de café.

18/08/16

TOP 5 : FILMES DE BRUXAS DA SESSÃO DA TARDE

by:lolaceratti
Eu sou apaixonada em filmes de bruxas, aliás sou fã de Harry Potter então o mundo mágico é muito importante para mim, pensando nisso decidi fazer esse top 5 de filmes que desde a nossa infância a Sessão da Tarde vem apresentando e reprisando para nós, amantes da magia.


1- Practical Magic – Da Magia à Sedução (1998)


Sandra Bullock e Nicole Kidman interpretam as irmãs Sally e Gillian Owens, que sempre souberam que eram diferentes uma da outra. Criadas por suas tias após a morte de seus pais, as irmãs crescem em uma casa que era tudo menos normal. Descendentes de feiticeiras elas começam a aprender a dominar seu dom com suas tias. Mas a invocação de feitiçaria das Owens também tem um preço – alguns chamam-lhe uma maldição: os homens que se apaixonam estão condenados a uma morte prematura. Agora, as mulheres adultas com personalidades muito diferentes, a tranquila Sally e a ardente Gillian devem usar todos os seus poderes para lutar contra a maldição da família e um enxame de forças sobrenaturais que poderiam tirar todas as vidas do clã Owens.
Eu amo esse filme, quem não ama qualquer coisa feita pela Sandra Bullock?



17/08/16

Para descontrair: Girls in the House

foto: facebook girls in the house
Há umas duas semanas eu vi um povo comentando no Twitter sobre Girls in the House e fiquei boiando achando que se tratava de uma nova série americana que eu estava perdendo; Então logo depois vi vários prints de meme da série sem saber até que alguém me explicou que Girls in the House é simplesmente uma série postada no Ytube feita com The Sims 4. Estranho? Eu também achei. Mas com aqueles prints engraçados eu não poderia deixar de ir assistir e tirar minhas próprias conclusões. E não é que eu adorei?

16/08/16

Resenha: Neve e Cinzas

Título: Neve e Cinzas
Autor(a): Sara Raasch
Editora: Harper Collins
Páginas: 320
Onde comprar: Submarino
Mais informações no Skoob
Dezesseis anos atrás o Reino de Inverno foi conquistado e seus cidadãos, escravizados, sem família real e sem magia. A única esperança de liberdade para o povo do reino jaz nos oito sobreviventes que conseguiram escapar, e que seguem esperando uma oportunidade para recuperar a magia de Inverno e reconstruir o reino. Meira, uma órfã desde a derrota de Inverno, passou a vida inteira como refugiada, criada por Senhor, o general dos inverninos. Treinando para se tornar uma guerreira — e desesperadamente apaixonada pelo melhor amigo e futuro rei, Mather —, Meira faria qualquer coisa para ajudar o Reino de Inverno a retomar seu poder. Então, quando espiões descobrem a localização de um medalhão antigo capaz de devolver a magia ao reino, Meira decide ela mesma encontrá-lo. Finalmente ela está escalando torres e lutando contra soldados inimigos como sempre sonhou. Mas a missão não sai como planejado, e logo Meira se vê mergulhada em um mundo de magia maligna e poderosos perigosos. De repente, ela percebe que seu destino não está, e nunca esteve, em suas mãos. A estreia de Sara Raasch é uma fantasia cheia de ação sobre lealdade, amor e a capacidade de determinar o próprio destino.



A corte de Inverno está em guerra com Angra, um tirano que quer conquistar todo o poder e que escravizou o povo de Meire. Ela e as pessoas que sobraram de Inverno estão foragidas vivendo como nômades, inclusive o rei Mather, seu amigo de infância. Sir não chega a ser um pai adotivo para Meire, mas eu gostei bastante do desenvolvimento dos dois. Pareceu real. Assim como a relação de Mather e Meire não foi superficial como nos outros livros que já li. Foram poucos em que eu shippo fortemente um casal, e eu admito, suspirei pelo Mather em alguns momentos, por que não? Ele se parece com um rei de verdade. E ele realmente mostra gostar da Meire e vice e versa... até aparecer o Theron, a outra ponta do triângulo. Ele não foi um antagonista forte para o Mather no começo, mas no fim do livro Mather passou a não ser um antagonista forte para ele. E, em apenas nesses dois casos, Estilhaça-me e Neves e Cinza, que acabou o livro e eu não soube dizer com quem a protagonista ficará no final. Pois bem. Parece que a autora também não sabe! Eu geralmente não gosto de um livro inteiramente por conta de romance demais, mas em Neve e Cinzas não temos um exagero disso. Por isso foi tão gostoso pra mim enquanto lia esse livro.