15/02/2017

Cadê meu fone? #7


Hey, leitoras e leitoras. Faz muito tempo que eu não monto um Cadê meu Fone? aqui no blog, então resolvi colocar umas musiquinhas aqui para vocês poderem dar um play enquanto comenta em blogs por ai.

O tema de hoje vai ser músicas que falam por mim. Espero que gostem.

13/02/2017

AMIGO SECRETO DE CARNATAL, o retorno


Ooi, povo. Tudo bem?
No final de 2016 jutamos, mais uma vez, umas blogueiras lindas para fazer um amigo secreto. Combinamos tudinho para tentar revelar antes do Natal, mas pensa se as enroladas conseguem? Então virou mais uma vez amigo secreto de Carnaval. AIUEHOHI

O fato é que, até o momento, não conseguimos juntar um dia para fazer a revelação então decidimos que cada uma irá fazer o post em seu blog revelando para quem mandou o presente e de quem recebeu o presente. Então, aqui vai!

10/02/2017

Rocco: Novidades de Fevereiro


eeee, tá chegando a melhor época do ano mentira. SIM, ele: O Carnaval. Sei que muita gente ama essa época e eu também amo mas pelas folgas. Esse ano, se der tudo certo, vou viajar no carnaval e dar uma curtida mas não é muuuito o meu estilo de festa, só que às vezes é bom sair da caixinha, né mesmo?

Mas para quem realmente não quer sair da zona de conforto nessa época a editora parceira Rocco tem várias novidades maravilhosas. Então veja aqui e escolha quais livros você vai querer fazer uma maratona literária nesse carnaval (porque não, né?)

07/02/2017

Resenha: Os Bons Segredos


Título: Os Bons Segredos
Autor(a): Sarah Dessen
Editora: Paralela
Páginas: 408

Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.

Eu estava louca para ler um YA depois de algum tempo lendo alguns livros de parceria. Queria algo para eu ler totalmente despreocupada, saber? E ai pedi indicação no Twitter e eis que a Sammy coloca num tweet para mim Os Bons Segredos. Eu já havia lido resenhas dele na época do lançamento mas nunca havia dado tanta importancia, mas resolvi dar uma chance e nossa como eu agradeço a Sammy pela indicação. Foi o livro mais lindinho que eu li nos últimos meses e eu estava precisando demais disso. Não conheço Sarah Dessen, como acredito que muitos leitores do gênero devem conhecer, mas entendi o porque de ela ser apelidada de a rainha do YA. A autora soube a medida certa entra aquele drama básico que todo adolescente tem com os problemas reais e que precisam da ajuda de um adulto para ser resolvido — mesmo que muitas vezes os próprios adultos são os causadores do problema.

Sydney tem passado os últimos dois anos vivendo à sombra de seu irmão mais velho, que vem causando problemas com álcool, invasão de domicilio e essas coisas todas. Nesse período a familia tentou dar total atenção a Peyton (o irmão) para tentar resolver esse problema, até que em uma noite ele acaba atropelando um adolescente que voltava para a casa durante a madrugada e este ficou paraplégico. Apesar de Peyton ter causado o acidente, e agora ele esta preso por causa disso, quem se sente culpada é Sydney pois sente que mais ninguém faz isso. Ela muda de escola pois acha que é o melhor a fazer, aquela velha história de começar do zero, e então à partir daí que realmente começa a história.

04/02/2017

Resenha: O advogado rebelde

TÍTULO: O advogado rebelde
AUTOR(A): John Grisham
EDITORA: Rocco
PÁGINAS: 400
Na lista dos mais vendidos do The New York Times desde o lançamento nos EUA, em outubro de 2015, O advogado rebelde apresenta um dos mais ousados protagonistas do mestre dos thrillers de tribunal John Grisham. Sebastian Rudd é o advogado rebelde da trama. Seu escritório é uma van blindada, seu motorista anda fortemente armado e seus clientes são pessoas das quais a maioria dos advogados prefere manter distância, como um jovem viciado acusado de participar de um culto satânico e molestar e matar duas crianças pequenas. Mas Sebastian Rudd acredita que todos merecem um julgamento justo, ainda que ele tenha que trapacear para fazer justiça. Em sua melhor forma, Grisham constrói um suspense eletrizante e não se furta a criticar o sistema judiciário e as grandes corporações neste novo romance.

O Advogado Rebelde conta a história de Sebastian Rudd, um advogado conhecido por defender bandidos independente de seus crimes. Sua fama o precede não só pelo tipo de gente que defende mas também pelo modo como advoga.  Sem se importar com limites éticos e morais, Rudd faz de tudo para ganhar, principalmente quando os "mocinhos" estão pegando pesado na sujeira. O livro é dividido em 6 partes e cada uma delas trata de um caso diferente, mas todas as pates e casos estão ligadas entre si. Ao fundo, a história de um divórcio e guarda do filho conturbados e infinitas ameaçar de morte, é contada. 

O livro é narrado em primeira pessoa por Rudd, o que pode ser ao mesmo tempo interessante e chato. Ele com certeza é um personagem irreverente, rebelde como muitos dizem e isso o diferencia de protagonistas comuns. Apesar de ser um advogado, ele não se importa exatamente com as leis ou com a ética quando precisa fazer alguma coisa que ultrapasse essas fronteiras. Rudd luta sim contra um sistema corrupto e injusto, tem seus pontos ao tentar fazer algumas boas ações mas isso não o libera de ser uma pessoa errada. Ao mesmo tempo, a narração em primeira pessoa se torna um tanto quanto chata justamente por essa personalidade que não causa um afeiçoamento por parte do leitor.

03/02/2017

Promoção: 2 anos de Pobre Leitora



O blog Pobre Leitora está completando 2 anos de vida e estamos todos muitos felizes! Pra comemorar essa data, é claro que não podia faltar um sorteio onde você, leitor, leva vários livros pra casa!

REGRAS:

• A única regra obrigatória é deixar um e-mail válido para contato, todas as entradas são LIVRES, mas quanto mais entradas você preencher, mais chances terá de ganhar!!
• Nas entradas de curtir o Facebook é necessário que sua página de curtidas seja liberada para que se possa conferir, caso seja sorteado com essa entrada.
• Lembre-se de deixar um e-mail que você use para que a blogueira possa entrar em contato! O ganhador tem até 48 horas para responder ao e-mail, caso contrário, perde o direito ao prêmio.
• Você pode participar dos dois formulários se quiser, mas só pode ganhar uma vez.
• O envio dos prêmios será feito em até 90 dias depois de resposta do ganhador. Cada blog é responsável por um livro, não perturbe o blogueiro que não tem nada a ver com isso. Dúvidas e reclamações devem ser tratadas com o blog aniversariante.
• Os blogs não se responsabilizam por danos, extravios, roubos e devoluções.
• O sorteio tem início hoje e vai até o dia 28/02. O resultado sai em até uma semana.

01/02/2017

Resenha: Neuromancer


Título: Neuromancer
Autor(a): William Gibson
Editora: Aleph
Páginas: 304

Um hacker renegado, uma samurai das ruas, um fantasma de computador, um terrorista psíquico e um rastafari orbital num thriller sexy, violento e intrigante. De Tóquio a Istambul, das estações espaciais ao não-espaço da realidade virtual, o tenso jogo final da humanidade contra as Inteligências Artificiais…
Evoluindo de Blade Runner e antecipando Matrix, Neuromancer é o primeiro – e ainda hoje o mais famoso – livro de William Gibson. É considerado não só o romance que deu origem ao gênero cyberpunk, mas também o seu melhor representante. Edição especial com nova tradução, nova capa e projeto gráfico, novo prefácio e notas explicativas.

Tá sendo bem difícil começar essa resenha. Eu poderia fazer como tantas outras e explicar a premissa da história, mas isso foge completamente do padrão que eu sigo nas minhas resenhas e provavelmente ficaria aqui mais para encher linguiça do que outra coisa. Porque digo isso? Bom, Neuromancer com toda certeza do mundo não é um livro fácil de ler e de compreender e acredito que principalmente para uma leitora como eu que não está habituada com o gênero ficção cientifica na literatura. Digo tudo isso não para justificar que eu achei o livro ruim ou algo assim, mas talvez para justificar o porque da minha resenha ser… estranha, ou até mesmo não satisfatória.

Neuromancer é o tipo de livro não me cativou ou me deixou presa em seu universo e curiosa pelos próximos acontecimentos mas ao mesmo tempo foi um livro que despertou a minha curiosidade para o desconhecido. Eu sei, contraditório; mas mesmo que eu faça parte de uma geração sortuda com acesso a tecnologia, realidade virtual e inteligencia artificial ainda assim senti uma curiosidade para o que o autor iria mostrar no que diz respeito a realidade virtual que livro mostra ao leitor. Sei que muitos já assistiram Matrix e sim o livro se assemelha em alguns aspectos com o filme e acredito que no fim das contas foi essa relação que me ajudou a entender um pouco mais o que Gibson estava descrevendo ali, já que por muitas vezes achei a narrativa confusa, tensa e lenta chegando até mesmo à voltar algumas sentenças ou páginas para sacar o que diabos o personagem estava fazendo em tal lugar, o de onde surgiu outro personagem… Achei que eu era a unica com essa impressão mas após ler alguns comentários por ai percebi que foi a dificuldade que alguns leitores também tiveram.